Guia
Neuromarketing para pequenos negócios Negócios Locais

O que é Neuromarketing?

O termo “neuromarketing” é definido com confiança por várias fontes, mas nem todos concordam. 

 

O Resto do artigo é exclusivo para cliente, está disponível no Professor M Club

O que é Neuromarketing?

O termo “neuromarketing” é definido com confiança por várias fontes, mas nem todos concordam. 

O Wikipedia define como:

“O neuromarketing é um novo campo de marketing que utiliza tecnologias médicas, como a ressonância magnética funcional (fMRI), para estudar as respostas do cérebro aos estímulos de marketing. Os pesquisadores usam a fMRI para medir mudanças na actividade em partes do cérebro e aprender por que os consumidores tomam as decisões que tomam e que parte do cérebro está a “mandar” fazê-lo…

Os analistas de marketing usam o neuromarketing para medir melhor a preferência do consumidor, pois a resposta verbal dada à pergunta “Você gosta deste produto?” Nem sempre pode ser a resposta verdadeira. Esse conhecimento ajudará os profissionais de marketing a criar produtos e serviços com mais eficiência e campanhas de marketing mais focadas na resposta do cérebro.

O neuromarketing dirá ao profissional de marketing a que o quê o consumidor reage, se foi a cor da embalagem, o som que a caixa emite quando é sacudido ou a ideia de que eles terão algo que outros consumidores não têm.

Acho que a actual definição do Wikipedia está no caminho certo, mas talvez seja um pouco limitante.

 Aqui está a minha definição:

Neuromarketing é a aplicação da neurociência ao marketing. O neuromarketing inclui o uso directo de imagens cerebrais,  exames de ressonância ou outra tecnologia de medição de actividade cerebral para medir a resposta de um indivíduo a produtos, embalagens, publicidade ou outros elementos de marketing específicos. Em alguns casos, as respostas cerebrais medidas por essas técnicas podem não ser percebidas conscientemente pelo sujeito; portanto, esses dados podem ser mais reveladores do que os relatórios pessoais em pesquisas, focus group etc.

De maneira mais geral, o neuromarketing também inclui o uso de pesquisas em neurociência no marketing. Por exemplo, usando a ressonância magnética ou outras técnicas, os pesquisadores podem descobrir que um determinado estímulo causa uma resposta consistente no cérebro dos participantes do teste e que essa resposta está correlacionada com o comportamento desejado (por exemplo, tentar algo novo). Pode-se dizer que uma campanha de marketing que incorpora especificamente esse estímulo na esperança de criar esse comportamento incorpora neuromarketing, mesmo que nenhum teste físico de indivíduos tenha sido feito para essa campanha.

Conclusão

Um dos desafios é que, em alguns aspectos, todo o marketing é neuromarketing, já que as campanhas de marketing quase sempre tentam produzir algum tipo de atividade cerebral que levará ao comportamento desejado (por exemplo, comprar um produto). Essa não é uma maneira particularmente útil de analisar o neuromarketing, da mesma maneira que dizer “tudo é química” (uma vez que todas as coisas vivas e não-vivas são compostas por moléculas) é verdadeiro, mas não é útil. Portanto, excluímos os esforços de marketing que não incorporam especificamente a pesquisa em neurociência – seja por meio de novos testes ou usando os dados de trabalhos anteriores.

Professor M
Professor M

Especialista e Professor de Marketing Local para Comércio e Serviços Locais

Publicações

Artigos sobre este tema: